Bruxismo: o que é e como tratar

O bruxismo é uma patologia geralmente ligada ao estresse e ansiedade, que acomete pessoas de todas as idades. Este problema consiste no hábito de ranger e/ou pressionar os dentes durante a noite ou o dia, o que pode gerar sérias consequências para a estrutura dentária.

A doença pode causar ainda dores de cabeça e distúrbios na articulação temporomandibular, além dos danos por desgaste aos dentes. Sem contar que o ranger dental constante causa incômodos não só ao paciente, mas também para quem convive com ele.

O diagnóstico precoce e tratamentos adequados ao bruxismo são as melhores formas de diminuir a chance de ocorrerem grandes prejuízos à saúde. Portanto, saber identificar os sintomas o mais breve possível é crucial para evitar as consequências do problema.

Tipos de bruxismo

Quem sofre com bruxismo pode não perceber o ranger dos dentes durante o sono. Porém, é muito comum que, ao acordar, os pacientes sintam os músculos da face e da mandíbula doloridos, além de dores de cabeça e no pescoço. O que muitas pessoas não sabem é que essa doença pode prejudicar muito mais do que a saúde bucal.

O chamado bruxismo de vigília ocorre quando a pessoa passa longos períodos do dia apertando ou rangendo os dentes, muitas vezes de maneira inconsciente. Isso ocorre, geralmente, em momentos de estresse, tensão ou até mesmo de extrema concentração. Essa patologia também pode se desenvolver como efeito colateral do uso de alguns medicamentos.

Já no bruxismo noturno, o ranger dos dentes e movimentação excessiva da mandíbula ocorrem de maneira involuntária. Sua causa pode ter relação com os hábitos diurnos de apertar os dentes, estresse, problemas de oclusão dentária ou até mesmo distúrbios respiratórios.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é dado, geralmente, a partir da observação clínica e do relato do paciente e seus familiares. Os profissionais capacitados para identificar e tratar o bruxismo são o dentista/odontologista, o fonoaudiólogo e o psiquiatra.

O tratamento inicial consiste em constatar e diminuir as causas do problema no dia-a-dia do paciente. O principal objetivo da intervenção terapêutica é reduzir as dores e os possíveis danos à saúde geral.

Atualmente, o tratamento mais indicado para aliviar os sintomas do bruxismo tem sido a utilização de placas interoclusais. Estas placas são confeccionadas de acordo com o formato da arcada dentária do paciente e pode ser de material flexível, como silicone, ou rígidas, de acrílico.

As placas interoclusais auxiliam na restrição dos movimentos musculares noturnos e reduzem o atrito que pode causar o desgaste dentário. Além de protegerem os dentes, ajudam a manter a mandíbula estável e relaxada durante o sono.

Diminuir a tensão e os fatores de estresse durante o dia também colabora para uma noite de sono mais tranquila. Deve-se considerar, por exemplo, a inclusão da prática de esportes na rotina, exercícios de relaxamento e uma alimentação equilibrada.

As consequências do bruxismo vão desde desgastes e perdas dentárias, problemas na articulação temporomandibular e até mesmo a destruição do tecido gengival. Como a qualidade do sono é comprometida, é muito comum que haja prejuízo também na concentração e fadiga durante o dia.

Seguir à risca as recomendações do profissional responsável é fundamental para o sucesso do tratamento e evita os efeitos mais graves da doença. Conhece alguém que range os dentes constantemente? Compartilhe este artigo e ajude mais pessoas a tratar o bruxismo.

Deixe uma resposta